top of page

Expertise do petróleo conecta Macaé a Angola


A expertise de Macaé em representar a evolução do processo econômico e industrial registrado pelo mercado do petróleo brasileiro ao longo das últimas quatro décadas torna-se referência para as transformações políticas e econômicas que acontecem atualmente em Angola, nação que pretende assumir, em breve, nova posição na ranking global do mercado de óleo, gás e energia.

Em agenda oficial realizada nesta quinta-feira (29) no estande da prefeitura da Rio Oil and Gas, o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Vianna, e a Secretária de Trabalho e Renda, Sabrina Nunes, se reuniram com a delegação da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) de Angola, os diretores Neusa Cardoso, Guilherme Ventura e Alcides Andrade, e o técnico Zacarias Bumba.


Os projetos estruturantes que tornam Macaé a nova Cidade Energia, além da infraestrutura consolidada pela cidade que é referência em formação técnica e acadêmica, programas de sustentabilidade e projetos sociais foram apresentados pelos secretários do município que fizeram referência ao empenho do prefeito Welberth Rezende em viabilizar o ambiente de negócios da cidade, como pilar para promover qualidade de vida para a população local.

“A conexão com Angola representa para nós a troca de experiências com um ambiente novo do mercado de óleo e gás. O Brasil possui uma relação cultural e histórica com esta nação que reconhece, hoje, Macaé como um grande ativo do mercado nacional de energia”, destacou Rodrigo.

O incremento da produção nos chamados “campos maduros”, estratégia defendida por Macaé junto ao Ministério de Minas e Energia e que promove a retomada do mercado offshore brasileiro, representa o principal programa de incentivos trabalhado pela ANPG como expositora na Rio Oil and Gas.

Para implementar esta estratégia, a ANPG firmou cooperação junto à Agência Nacional do Petróleo (ANP) brasileira para aprimorar as regras que possam elevar investimentos em áreas com potencial de gerar a chamada “produção incrementada”.

O acordo foi assinado na última terça-feira (27) e contou com a presença do presidente do Conselho de Administração da ANPG, Paulino Jerónimo.

“O Brasil já passou por esta experiência e naturalmente ninguém melhor que o Brasil para nos assessorarmos, primeiro porque falamos a mesma língua e, segundo, porque já tem a experiência de promover essa produção incrementada. Um dos pontos que queremos reforçar é o nosso quadro regulatório, criar a regulação apropriada. É por isso que buscamos a experiência da ANP e assinamos este acordo de cooperação”, destacou Paulino Jerónimo.

A visita da delegação da ANPG ao estande da Prefeitura de Macaé também foi acompanhada pela chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mariana Previtalli, e da diretora de comércio da Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Valéria Ribeiro.

コメント


bottom of page